sábado, 7 de janeiro de 2017

Conan, o Libertador

CONAN, O LIBERTADOR - EDIÇÃO HISTÓRICA
Digitalização: Outsiderz/Capa e Ajustes: Alan Bishop
Uma produção HORDA e ÐØØM™ SCANS

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI
LINK ALTERNATIVO AQUI

Como todo bom leitor de quadrinhos de heróis, eu já havia lido Conan vem antes da estréia de A Espada Selvagem do Mesmo. Lá, nas páginas de Heróis da TV ou Superaventuras Marvel conheci o bárbaro cimeriano e, como todo bom leitor de quadrinhos, assisti ao filme estrelado por Arnold Schwarzenegger... os dois e mais Guerreiros de Fogo, onde ele é praticamente um Conan genérico. 

Quando A Espada Selvagem chegou às bancas em junho de 1984, eu estava lá, para adquirir o primeiro número, já sabendo que algo grande estava começando. Foram 205 números dos quais adquiri pelo menos, a metade. 

Para um garoto, que como eu, não estava nem aí para os Beatles e muito menos para os Rolling Stones, aquilo era a porta de entrada para um outro mundo, Histórias de espada e magia, violentas e com mulheres seminuas, tudo em preto e branco, era algo com o que eu não estava tão acostumado. Mas, eu curti cada momento. 

O mais interessante era que estava lá, na minha coleção, lado a lado com Tio Patinhas e Turma da Mõnica. Eu não mudei meus gostos, apenas incluí algo que não poderia deixar de lado. 

Conan foi criado pelo escritor Robert E. Howard em 1932. Em 1970 o então editor da Marvel Roy Thomas viu o potencial do personagem e o transportou para os quadrinhos, juntamente com o ilustrador Barry Windosr Smith. Com o tempo as baixas vendas geraram tensão entre Stan Lee e Roy Thomas e a empreitada quase foi cancelada. Se não fosse a insistência de Thomas, talvez o personagem tivesse caído no esquecimento. 

Com a produção do filme dirigido por John Millius, o personagem ganhou ainda mais força, principalmente por ter sido uma adaptação bem fiel e por Arnold praticamente ser a encarnação de Conan. 

Em 2003, Conan se mudou de editora e foi para a Dark Horse, continuado sua carreira de sucesso. No Brasil, publicado pela Editora Abril, passou para a Editora Mythos, que foi quem publicou este volume gigantesco em todos os sentidos, para fazer jus ao personagem. São 500 páginas de histórias antes publicadas em A Espada Selvagem. 

Roy Thomas, John Buscema, Tony de Zuñiga, Klaus Janson, Ernie Colon, Gil Kane e outros são os artistas envolvidos nesta edição que traz de volta um pouco do saudosismo que a clássica revista em preto e branco do cimério nos deixou. Por Crom!


 



2 comentários:

luigi disse...

Muito obrigado pelo scan !!!

Anônimo disse...

Na época da espada selvagem publicada pela abril esse sim era uma grande serie.
Depois os outros títulos que veio a surgir publicada por outra editora americana as versões mais atuais eu achei super ultra chato.
Não era mais o conan na maioria das vezes parecia que estava lendo as aventuras do jovem conan.
Essa abordagem teen eu odiava sempre que utilizavam em algum personagem de sucesso com o jovem indiana jones.
Eu me babo de raiva da quela serie.
Então se tiver que ler algo de conan vai ser os antigos HQs.
elcio