terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Clue

CLUE - PAUL ALLOR/NELSON DANIEL
Tradução e Letras: A Man Without a Name

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

E o Homem Sem Nome está de volta com suas excelentes escolhas de HQs que muito provavelmente não veremos publicadas por aqui. Desta vez é a adaptação para os quadrinhos do boardgame Clue ou, como é conhecido por aqui, Detetive. Este jogo já teve uma adaptação para o cinema em 1985, chamada Os Sete Suspeitos, com Tim Curry. A HQ não é uma adaptação do filme, mas do próprio jogo e enveredando por outros caminhos, tendo um final bem surpreendente. 

Várias pessoas são convidadas para estarem na mansão do Sr. Corpo e algumas delas parecem se conhecer e terem certas rixas entre si. Quando o Sr. Corpo é assassinado - entendeu? sr. Corpo... - essas rixas aumentam junto com as suspeitas de quem um deles é o assassino. 

Temos o Professor Plum, a srta. Orchid, Scarlet, a sra. Peacock, o Sr. Green, a senadora White, o Coronel Mostarda e a detetive Amarillo e o detetive Ochre, além do Mordomo Upton, que narra os acontecimentos. 

Alguns dos suspeitos acabam eles mesmos asassinados, aprofundando ainda mais a trama. Afinal, por que foram convidados a estarem ali? Por que parece haver uma conexão entre eles e por que estão sendo mortos? Tudo isso será respondido a cada capítulo desta detetivesca HQ.




OS 7 SUSPEITOS - 1985
DVDRip/AVI/Áudio em inglês e português/Legenda
separada em português/92 minutos/786 MB

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

Em uma noite tempestuosa de 1954, seis indivíduos com históricos comprometedores em Washington se reúnem para um jantar na mansão do ostentoso Sr. Pessoa (Lee Ving). Eles são recebidos pelo mordomo, Wadsworth (Tim Curry), que atribui a cada convidado um pseudônimo a fim de proteger suas identidades: Sr. Green (Michael McKean), Coronel Mostarda (Martin Mull), Sra. Peacock (Eileen Brennan), Professor Plum (Christopher Lloyd), Srta. Scarlet (Lesley Ann Warren), e Sra. White (Madeline Kahn). Após o jantar, eles descobrem que foram chamados para conhecer o seu chantageador: o Sr. Pessoa, e cada um deles recebe uma arma. Quando o anfitrião aparece morto, o grupo se apavora e procura por pistas para revelar o assassino. Só que já é tarde demais e mais pessoas aparecem mortas. Agora só resta descobrir: quem matou quem, em qual cômodo e com qual arma.


segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Promethea - Volume 01

PROMETHEA - VOLUME 01 de 02
Digitalização e Tratamento: Outsider Z/HORDA Fantasy
As (Muitas) Páginas Duplas: Alan Bishop/DOOM Scans

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

Promethea. Incrível, mas esta mítica HQ de Alan Moore está perto de completar 20 anos de existência e apenas agora, com o lançamento deste dois volumes da Panini é que realmente parei para ler com atenção. Mas, eu sempre soube que era algo para ser lido apropriadamente. Sabia também que eu não seria a pessoa mais indicada para fazer um review sobre a obra, que é bem, digamos, recheada de símbolos e significados. Também parece ser aquele tipo de obra que se ama ou se odeia. Mas, sei que Promethea não é algo que se deixe passar. 

Nossa heroína é uma história viva que, quando "convocada" por meio de algum trabalho artístico de alguém inpsirado nela, se apossa do corpo do autor (ou de sua musa) e entra em nosso mundo. Bem, não exatamente nosso mundo, mas é bem parecido. 

A jovem Sofia bangs está pesquisando sobre Promethea para um trabalho didático, quando ela mesma acaba sendo a nova incorporação da heroína. Ela conhece a mulher que foi a Promethea anterior e ela e sua amiga, Stacia, começam a viver uma série de aventuras, incluindo conhecer as outras Prometheas no mundo de Immateria. 

Um destaque neste scan são as páginas duplas com a arte de J. H. Williams II, que são mais da metade das páginas da edição (e da próxima). O que tornou o tratamento da mesma mais complicado, já que emendar as páginas da melhor maneira possível foi um trabalho hercúleo executado pelo artista das páginas duplasm Alan Bishop, do Doom Scans. Sem essa ajuda, provavelmente não teríamos os scans, pois eu não ia conseguir fazer, já que meu conhecimento de manipulação de imagens é limitado. 

Para se ter uma ideia da dificudade: às vezes, quando puxo a página, sai um pedaço da arte e o nosso amigo aí simplesmente completa essa parte ma-nu-al-men-TE. É, a coisa pega fogo por aqui. No mais, divirtam-se. Ah, o próximo volume não deve sair tão cedo, devido a tudo isso citado acima e outras coisas como falta de tepo e etc. Mas, virá, com certeza. 





Coleção Marvel Salvat: Surfista Prateado

COLEÇÃO MARVEL SALVAT: SURFISTA PRATEADO - ORIGENS
Digitalização e Tratamento: Outsider Z/HORDA Collections

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

"Há algo no visual do Surfista Prateado que reverbera em nós em um nível bem primitivo. Deveria ser algo ridículo - afinal, ele é um alienígena numa prancha de surfe, mas graças à genilaidade de Jack Kirby  acabou tendo um dos designs mais icônicos que já surgiram na redação Marvel.

Existe uma simplicidade elegante em sua aparênciaque traz ao personagem um senso de nobreza - nobreza esta que Stan Lee não deixou de notar e que influenciou a maneira como ele moldaria a personalidade do herói. 

Após a estréia do Surfista em Fantastic Four #48, os fãs exigiram mais sobre aquele estranho viajante espacial. Nos anos seguintes, ele se tornou um astro recorrente dentro do título, até que, em 1968, finalmente ganhou a sua própria série.

Infelizmente, com Kirby ocupado desenhando tantos outros títulos da Marvel, Lee teve de encontrar um artista diferente para produzir as aventuras da sentinela espacial - e a incumbência ficou a cargo de John Buscema. Mas John não era um mero substituto de Kirby. Ele se apropriou do personagem, criando algumas das páginas mais dinâmicas e arrebatadoras da Marvel dos anos 60. Na verdade, muitos consideram o Surfista Prateado de Buscema como a melhor arte já produzida para uma HQ.

Um ano caído, com as asas cortadas e aprisionado num planeta, incapas de voltar a viajar pela vastidão do espaço, o Surfista surge como uma figura trágica nesta coleção. Suas reflexões sobre a natureza bárbara da humanidade o levam a se lembrar de seus dias em Zenn-La e de como foi forçado a aceitar o papel de arauto para salvar seu verdadeiro amor. 

Dá para sentir a paixão de Stan Lee pelo0 personagem em cada sentença. Há uma poesia natural nos diálogos e monólogos do herói que transcende suas raízes. Mais uma vez, trata-se de Lee rompendo as barreiras do que podia ser publicado numa simples revista em quadrinhos. 

Stan Lee afirmou diversas vezes que, de todos os heróis que criou ao lado de Jack Kirby, o Surfista Prateado era seu favorito. Há uma pureza no personagem que o leva a ajudar os que precisam. Para uma criatura tão poderosa como o Surfista, cujos sentidos foram ampliados pelo poder cósmico, sua meta não é apenas salvar os indivíduos, mas curar toda a raça humana, banir a guerra e sentir as dores em escala global. 

Talvez sejam ideiais elevados, mas, nas próprias palavras de Stan Lee, isso o aproxima de ser a 'quintessência do super-herói'".





sábado, 17 de fevereiro de 2018

Cavaleiros do Zodíaco - Vol. 02

SAINT SEIYA: CAVALEIROS DO ZODÍACO - KANSENBAN - VOL. 02
Digitalização e Tratamento: Renato PLT/HORDA Mangás

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

A batalha de Seiya contra Shiryu continua acirrada. Porém, eventos catastróficos para os Cavaleiros do Zodíaco se tornarão mais urgentes do que os combates. Uma surpresa que deveria ser agradável para Shun torna-se um pesadelo para ele e para todos os cavaleiros. 

Alguém do passado retorna, mas nao é mais a mesma pessoa de antes. Agora ele quer não apenas a armadura de ouro, mas conquistar o mundo, nem que para isso precise destruir os cavaleiros. 

Agora precisam recuperar a armadura de ouro e evitar que o pior aconteça. Para isso, vão precisar estar mais unidos do que antes, pois as trevas parecem querer tomar conta de tudo. 

O volume 01 pode ser baixado AQUI.





segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Akira Completo

AKIRA #1 a 38 - COMPLETO
Digitalização e Tratamento: Outsider Z/HORDA Mangás


PARA BAIXAR CADA EDIÇÃO, CLIQUE AQUI
PARA BAIXAR TUDO DE UMA VEZ, AQUI

Demorou quase três anos, mas aqui está a versão 2.0 de Akira, O mangá. A demora se dá principalmente por não ter apenas Akira para ser digitalizado e, também, claro, porque eu as responsabilidades tendem a aumentar e o tempo a diminuir. Outro fator é que, sendo scans versões 2.0, o tempo para tratar a imagem é maior. Não é como antigamente que se jogava na internet de qualquer jeito. 

Mas, o fato é que, demorando ou não, estamos aí. A despedida de Kaneda, Tetsuo, Kay, Coronel, Kai, Lady Miyako, Chyoko, Akira e todos os personagens que aprendemos a gostar, se dá nestas duas últimas edições.

Um diferencial das edições coloridas para as que estão saindo pela JBC - além das cores, é óbvio - são as participações especiais de artistas americanos - e de Moebius - em ilustrações que fazem homenagem ao mangá. Nas duas últimas edições há também três histórias baseadas e personagens do mangá, escritas e ilustradas por americanos. 

No mais, quero agradecer ao amigo que me enviou parte de sua coleção, dos numeros 12 ao 38, para que eu pudesse realizar este feito. Sem isso, não sei quando teria terminado. Infelizmente minha memória é uma bosta e eu não lembro o nome do amigo, que é algo bem feio da minha parte, mas se ele ler isto saberá que estou imensamente agradecido. 

Update 09/02/2018 - O Amigo que doou boa parte de sua coleção foi o Manoel Almeida! :D




domingo, 11 de fevereiro de 2018

Coleção Marvel Terror #01

COLEÇÃO MARVEL TERROR #01: MOTOQUEIRO FANTASMA
Digitalização e Tratamento: Renato PLT/HORDA Comics

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

Johnathon Richard Thomas Blaze era um artista de manobras em motocicletas que aceitou hospedar a alma de Zarathos, em troca da salvação de Barton Blaze, pai biológico de Blaze e dono do local de exibições das motos. Esse Motoqueiro Fantasma fez parte, nos anos 70, do supergrupo conhecido como Campeões, juntamente com Anjo, Homem de Gelo, Viúva Negra, Hércules e Estrela Negra. 

Roxanne Simpson, filha natural de "Crash" Simpson, foi a primeira pessoa a descobrir que o Motoqueiro Fantasma e Johnny Blaze eram a mesma pessoa. Por muito tempo, a força do amor de Roxanne era a única coisa que mantinha Satã longe do Motoqueiro Fantasma. Satã, porém, conseguiu enganá-la usando imagens falsas de seu falecido pai. 

Assim que Roxanne retirou a proteção, Satã tomou os poderes do Motoqueiro. Porém, Blaze conseguiu se safar com a intervenção de Daimon Hellstrom, o filho de Satã, que havia virado exorcista na Terra. Algum tempo depois, Blaze conseguiu encarcerar Zarathos numa joia chamada Cristal Espiritual. 

Livre do demônio, Johnny ainda tinha os poderes porém depois de algum tempo Zarathos voltou então Johnny fugiu para o outro lado do mundo.




Yu Yu Hakusho #27

YU YU HAKUSHO #27
Digitalização e Tratamento: Renato PLT/HORDA Mangás

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

A ameaça rodeia nossos amigos. Um buraco central está sendo aberto entre o mundo real e o espiritual e os mais perigosos youkais podem acabar adentrando nossa realidade. 


Agora o perigo não sao apenas os humanos que começarama a ganhar poderes estranhos, mas quem está por trás da trama que pode destruir o mundo. Urameshi e seus amigos precisam encontrar rapidamente quem é o líder e tentar derrotá-lo, mas, para isso, precisará enfrentar outros humanos poderosos, entre eles Doctor, com poderes que o tornam extremamente perigoso. 






segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Akira #34 a #36

AKIRA #34 a #36 de 38
Digitalização e Tratamento 2.0: Outsider the Z/HORDA Mangás
Páginas Duplas: Alan Bishop/DOOM Scans


PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

E entramos na reta final de Akira, a superprodução de Katsuhiro Otomo. Nestas três edições nos deparamos com os estertores finais de Tetsuo e as últimas tentativas de Kaneda e Kay de detê-lo. 

Um caso especial nestes números é o de Lady Miyako, que considero uma inutsiça como foi retratada na animação. Como no longa-metragem não dá para contar a mesma história do mangá, que nem estava neste ponto, na época, Lady Miyako sofreu na transição, aparecendo muito pouco e em circunstâncias meio humilhantes. Na animação ela não tem nenhuma influência na história como um todo. 

Aqui, no entanto, ela mostra que é a motherfucker que se precisa que ela seja, ajudando Kay a enfrentar Tetsuo e, por fim, ela mesma encarando o monstrão, sabendo que é tudo ou nada. E sem a mínima hesitação que seja. 

Enquanto isso, Kaneda, Ryu, o General, Chiyoko, Curinga e kai também estão às voltas com as peripécias de Tetsuo e pretendem pará-lo. Porém, Akira começa a despertar seus poderes e se ele agir, pode ser o fim de tudo. 




sábado, 3 de fevereiro de 2018

Choques Futuristas

CHOQUES FUTURISTAS - ALAN MOORE
Digitalização e Tratamento: Renato PLT/HORDA Sci-Fi

PARA BAIXAR, CLIQUE AQUI

Texto retirado do Universo HQ:

“Todo mundo começa de baixo, meu filho”, já dizia a mãe ou a avó de cada um de nós. Isso é verdadeiro, seja você um bancário ou um Beatle. Todos têm que amargar um tempo nos porões de Liverpool para aprender os traquejos da profissão, como ser, afinal, o melhor em que faz. 

Não foi diferente com o mago Alan Moore, tido por muitos como um dos maiores roteiristas de quadrinhos do planeta. E o porão de Alan Moore foi justamente na revista britânica 2000AD, lar do nada amigável Juiz Dredd. Foi nesta publicação, ainda na chuvosa Inglaterra do início dos 1980, onde o liberalismo de Margareth Thatcher (também conhecida como Dama de Ferro) imperava, que o autor desenvolveu sua capacidade de articular personagens, histórias e tramas com finais surpreendentes. 

O que chama a atenção de imediato é o tamanho das histórias. Algumas de quatro ou cinco páginas, outras tantas de três, uma série de duas e até de uma apenas. E nelas o novato Alan Moore desliza praticamente como um veterano. 

Claro que não se pode comparar essas obras pequenas com Watchmen ou V de Vingança, mas ainda assim o toque de Moore está indelével em cada trama ou personagem. As histórias giram em torno da ficção científica, pois a publicação inglesa demandava isso. Mas nem só desse gênero vivem as tramas. A maioria é de um humor ácido, combinando os elementos fantásticos e futuristas com um pessimismo divertidíssimo, principalmente no que tange às mudanças de rumo dos plots. 

Aquilo que o leitor pensa que é, nunca é. Aquilo que dá como certo, nunca está certo. O mocinho talvez não seja tão bonzinho e o malvado pode ser um anjo. E uma nave quem sabe queira se alimentar de ambos! 

Moore também se diverte com os estereótipos. Ele os subverte com uma naturalidade que deixa o leitor embasbacado. Se um homem está sozinho no mundo depois da hecatombe nuclear e se chama Adão, qual o nome da mulher que ele encontra e com quem povoará o mundo? Mirtes! 

Esse tipo de subversão de estereótipos está presente em praticamente todas as histórias, garantindo uma leitura divertida nos mundos criados pelo inglês barbudo.